quinta-feira, 2 de outubro de 2008

No Teu Poema a 4 Vozes

Há poemas na música portuguesa que foram escritos para serem eternos, cantados e re-cantados por todas as gerações.
O No Teu Poema, de José Luís Tinoco é, sem dúvida, um deles.
Escrito e cantado originalmente para o fadista Carlos do Carmo, No teu Poema foi depois interpretado por Simone de Oliveira, mais afadistado por Mafalda Arnauth e, por último, "jazzistado" por Paula Oliveira. Desconheço se mais alguém o cantou mas, para já, temos estes 4 interpretes que poderão ouvir seguidamente e pela ordem em que foram referidos.
Espero que gostem... mas primeiro, o poema:

No teu poema
existe um verso em branco e sem medida,
um corpo que respira, um céu aberto,
janela debruçada para a vida.
No teu poema existe a dor calada lá no fundo,
o passo da coragem em casa escura
e, aberta, uma varanda para o mundo.
Existe a noite,
o riso e a voz refeita à luz do dia,
a festa da Senhora da Agonia
e o cansaço
do corpo que adormece em cama fria.
Existe um rio,
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.
No teu poema
existe o grito e o eco da metralha,
a dor que sei de cor mas não recito
e os sonhos inquietos de quem falha.
No teu poema
existe um cantochão alentejano,
a rua e o pregão de uma varina
e um barco assoprado a todo o pano.
Existe um rio
a sina de quem nasce fraco ou forte,
o risco, a raiva e a luta de quem cai
ou que resiste,
que vence ou adormece antes da morte.
No teu poema
existe a esperança acesa atrás do muro,
existe tudo o mais que ainda escapa
e um verso em branco à espera de futuro.

José Luis Tinoco

Carlos do Carmo


Simone de Oliveira


Mafalda Arnauth


Paula Oliveira

1 comentário:

Filipe disse...

Sou fã incondicional de Simone de Oliveira e amo a sua interpretação desta música. É maravilhosa.

Apenas uma coisa, No Teu Poema foi também cantado por Dulce Pontes.

Um abraço